erros comuns de pontuação em inglês

5 Erros Comuns de Pontuação em Inglês que Podem Mudar Totalmente o que Você Está Tentando Dizer

“Hunters please use caution when hunting pedestrians using walk trails.”

Mostre esta frase para falantes nativos de inglês, e eles vão rir.

Por quê? O que tem de errado com ela?

Faltam sinais de pontuação!

Sinais como o ponto e a vírgula tornam a linguagem clara e fácil de entender.

Os omitir, ou abusar deles, pode resultar em algumas frases bobas e confusas.

Sem nenhum sinal de pontuação, a frase acima parece estar dizendo que os caçadores devem ter cuidado enquanto caçam pedestres.

Isso é ridículo!

Agora olhe as mesmas palavras de cima, mas com a pontuação apropriada:

“Hunters, please use caution when hunting. Pedestrians using walk trails.”

Faz muito mais sentido, concorda?

Sinais de pontuação adicionam significado às frases, o que é muito importante.

De fato, os erros de pontuação levam a alguns dos erros mais comuns em inglês.

Você leu certo: Alguns dos erros mais comuns em inglês podem ser corrigidos apenas consertando a pontuação.

Continue lendo para saber mais!

E se você é um caçador, por favor, tenha cuidado ao caçar. Não cace pedestres.

Os sinais de pontuação mais comuns

Não há muitos sinais de pontuação no idioma inglês, mas cada um deles tem um papel muito importante. Aqui estão alguns dos sinais de pontuação mais usados:

Ponto final ( . ) – O trabalho do ponto final é terminar uma frase e um pensamento. Mostra aos leitores que é hora de parar por um momento e respirar fundo antes de passar para o próximo pensamento.

Vírgula ( , ) – O trabalho da vírgula é pausar no meio de uma frase. Vírgulas são usadas para fazer listas, dividir duas orações (frases que possuem sentido completo e verbo ou locução verbal) e dar ao leitor uma pequena pausa antes do final de uma frase.

Ponto de interrogação ( ? ) – O ponto de interrogação permite que os leitores saibam que uma pergunta foi feita.

Ponto de exclamação ( ! ) – O ponto de exclamação enfatiza a frase e mostra emoções extremas como raiva e excitação.

Dois-pontos ( : ) – Os dois-pontos preparam o leitor para algo que está chegando. São geralmente usados para introduzir uma lista ou enfatizar algo importante.

Ponto e vírgula ( ; ) – O ponto-e-vírgula é um intervalo mais longo que uma vírgula, porém mais curto que um ponto final. Muitas pessoas, incluindo falantes nativos de inglês, não sabem usá-lo corretamente! Compartilharemos alguns recursos sobre o uso de ponto e vírgula abaixo, mas lembre-se disso: Se não tiver certeza, apenas não use. Você sempre pode reformular a frase ou dividi-la em duas frases.

Apóstrofo ( ‘ ) – O apóstrofo ajuda a marcar o possessivo. Em outras palavras, é usado para mostrar quando uma coisa pertence a outra coisa. Também é usado para formar contrações, que são encurtamentos de frases comuns, como“it is” (it’s), e “they are” (they’re).

Aspas ( ” ) – Essas marcas mostram que alguém está falando ou que você está citando alguém.

Parênteses ‘( )’  – Os parênteses são usados para adicionar detalhes ou mencionar coisas que não são essenciais à frase.

Hífen ( – ) – O hífen é usado para conectar palavras para formar frases adjetivas, como em “my 3-year-old cousin.” Ele também conecta palavras de duas partes comumente usadas, como “well-being“.

Traço ( — ) – O traço tem dois formulários principais, o em-dash (o travessão) e o en-dash (a meia-risca).  O em-dash (travessão) é um traço duplo (—) usado para interromper frases para incluir uma lista ou um aparte. Por exemplo: “I told her to take a pena green one, not a red oneback to her desk.” O en-dash (meia risca) (–) é maior que um hífen e é usado para conectar valores, como em “pages 3–15.”

Não se preocupe se a lista parecer longa — você provavelmente já conhece a maioria desses sinais de pontuação. Mas se não for o caso, bem…

Saiba mais sobre sinais de pontuação

Há toneladas de recursos online para aprender sobre sinais de pontuação. Alguns deles são diretos, enquanto outros são um pouco mais… divertidos. Aqui estão alguns dos nossos recursos favoritos para aprender sobre pontuação:

  • Guias do Oatmeal para ponto e vírgula e apóstrofos são formas muito divertidas e às vezes estranhas de aprender sobre esses dois sinais de pontuação confusos.
  • um site inteiro, The Punctuation Guide, dedicado a sinais de pontuação e seus muitos usos.
  • Se você está procurando algo um pouco mais comum, pode encontrar um bom guia para os fundamentos da pontuação em Skills You Need.
  • A BBC tem dois jogos bobos sobre sinais de pontuação aqui e aqui.
  • Quer saber mais sobre os diferentes tipos de traços e hífens? Confira este pequeno guia.

Todos os sinais de pontuação na lista e recursos acima são uma parte extremamente importante da língua inglesa. São tão importantes que alguns dos erros mais comuns de escrita em inglês podem ser consertados simplesmente corrigindo a pontuação.

Abaixo, veremos cinco dos erros mais comuns, para que você os evite para sempre!

5 erros comuns de escrita em inglês que você não precisa cometer!

1. Usar aspas para ênfase.

Aspas são usadas para mostrar algo que alguém já disse ou escreveu, para separar os títulos e para se referir a palavras e letras específicas (se você olhar com cuidado, encontrará exemplos ao longo deste artigo).

Eles não são usados para enfatizar uma palavra.

Na verdade, uma outra utilização torna esse uso das aspas em um erro bastante engraçado.

Para entender isso, vamos primeiro aprender sobre as maravilhosas “aspas no ar”. (As aspas em torno de “aspas no ar” estão sendo usadas para se referir a uma frase específica. Gírias, ditados e outras expressões faladas comuns às vezes aparecem entre aspas quando escritas.) Aqui está Joey de “Friends” adoravelmente usando elas errado.

“Aspas no ar” são gestos de citação que você faz no ar com os dedos quando fala. São uma maneira de colocar aspas em torno das palavras sem escrevê-las. Também são frequentemente usadas para mostrar que você não quer dizer o que está dizendo, ou para indicar sarcasmo. É um uso de aspas que também pode aparecer na linguagem escrita.

Por exemplo, se você diz ou escreve que alguém “acidentalmente” tomou alguma coisa, você está dizendo que na verdade isso foi de propósito.

É por isso que, escrever beware of the “dog,” é semelhante a incluir uma piscadela na frase. O “cachorro” em questão pode na verdade ter 20 anos e mal conseguir ficar de pé, ou pode até ser um gato! Da mesma forma, “cheese” burgers definitivamente não têm queijo (e não queremos saber o que eles realmente contém).

Para enfatizar uma palavra, você pode colocar em itálico ou em negrito. Você também pode sublinhar ou até mesmo escrever em CAIXA ALTA. (Apenas esteja ciente de que CAIXA ALTA não é aceitável na escrita formal, e muitas vezes é considerado algo irritante, então tenha cuidado!) Mas por favor, não use aspas para dar ênfase.

Enquanto estamos no tópico de aspas, aqui estão três coisas rápidas para lembrar:

  • Vírgulas e pontos finais vão dentro das aspas de fechamento.

“I don’t really know what that means,” Joey said.

  • Pontos de interrogação e pontos de exclamação ficam dentro das aspas de fechamento, caso façam parte da citação.

He exclaimed, “I hate pastrami!”

Quando não fazem parte da citação, saem das aspas.

Have you ever seen the movie “Gone with the Wind”?

  • Dois pontos, ponto e vírgula e traços sempre ficam para fora das aspas de fechamento.

I had two goals for my “me day”: sleeping, and sleeping some more.

“Me day” é outro exemplo de uma frase falada que se refere a algo específico (neste caso, um dia que alguém reservou para si).

Violar até mesmo essas pequenas regras pode causar confusão. O título do filme é uma pergunta (“Gone with the Wind?”) Ou uma declaração (“Gone with the Wind”)? Preste atenção a estas aspas!

2. Confundir plurais com possessivos.

É fácil entender como muitas pessoas têm problemas com apóstrofos. Eles podem ser confusos!

Em vez disso, vamos começar com os plurais. Tornar algo plural significa transformá-lo em mais de uma coisa. “cat” se torna “many cats“. “class” se transforma em “a few classes“. A maioria dos substantivos simplesmente exige que você adicione “-s” ou “-es” à palavra, com algumas regras especiais para substantivos que terminam em certas letras (você pode ver mais informações sobre isso aqui). Mas há um fato que sempre permanece verdadeiro: você nunca precisa de um apóstrofo para transformar uma palavra em plural.

Então, por que você precisa de apóstrofos, afinal? Para mostrar que algo pertence a alguma outra coisa — em outras palavras, mostrar possessão. Um rato de brinquedo pertencente a um gato seria “the cat’s toy mouse.” Uma casa que pertence ao seu amigo é “your friend’s house.”

Muitas pessoas começam a ficar confusas quando se trata de possessivos plurais. As regras básicas são menos complicadas do que você pensa:

  • Para substantivos plurais terminados em “-s, adicione apenas um apóstrofo após o “s“.
  • Para cada outro tipo de substantivo , adicione um apóstrofo e “s“.

É só isso! Ainda confuso? Vamos dizer que seus amigos estão saindo para empinar pipas. As pipas pertencem aos seus amigos, então são “your friends’ kites.” Seu amigo Chris não tem uma pipa porque a dele está quebrada. Chris não é um substantivo plural, então mesmo que seu nome termine em um “s“, você diria “Chris’s broken kite.”

Só fica um pouco mais complicado: Às vezes, você pode ver apenas um apóstrofo após um nome singular que termina em “s”. Essa regra pode variar dependendo da pronúncia, dos diferentes estilos de escrita e de como certos nomes costumam ser ditos. Por exemplo, você pode ver James’s kite,” mas também James’ kite.” No entanto, se você apenas seguir as duas regras acima em sua própria redação, pode ter certeza de que geralmente estará correto.

Dois outros pontos para lembrar sobre apóstrofos:

  • Eles também são usados para contrações como “it’s” e “that’s“. Estas palavras não são possessivas, pois representam “it is” e “that is“. Se você não tiver certeza, basta dividir a contração nas duas palavras que compõem e ver se faz sentido:

It’s raining outside. / It is raining outside.

Funciona!

  • Não há apóstrofo em pronomes possessivos . Isso significa que palavras como “his“, “hers” e “its” não precisam de apóstrofo.

Mesmo que você não lembre dessas regras, lembre-se apenas de uma coisa: Substantivos plurais nunca levam apóstrofo antes do “s”. Então, quando você está transformando um substantivo singular em plural, não adicione apóstrofo!

3. Usar muitas vírgulas.

Você já ficou tão animado com alguma coisa que todas as suas palavras se encontraram?

“Oh my gosh, I can’t believe he (or she) asked me out, this is the best day ever, I’ve been dreaming about this, I have no idea what to wear!”

Uau, calma aí! Vírgulas não são suficientes para desacelerar essa frase. Sem uma pausa real entre todos esses pensamentos, esse período se torna o chamado “run-on sentence”. É um pouco como uma bicicleta fora de controle — você não sabe como parar, e você acaba batendo no final!

Se você estiver usando muitas vírgulas em sua escrita, talvez esteja tentando encaixar muitos pensamentos em um só período. Você também pode estar criando frases run-on. Dê uma olhada neste exemplo:

I’ve been dreaming about this, I have nothing to wear.

A vírgula aqui está dividindo duas coisas que não têm nada a ver uma com a outra. Isso é chamado de comma splice, e é um erro que pode levar a grandes mal-entendidos.

Felizmente, existem duas maneiras muito simples de corrigir esse erro comum:

  • Substitua a vírgula por um ponto final.

I’ve been dreaming about this. I have nothing to wear.

  • Adicione uma palavra de conexão após a vírgula. Palavras como “and”, “but” e “or” mostram a relação entre as duas partes da frase. Também podem adicionar ao significado:

I’ve been dreaming about this, but I have nothing to wear.

Existem outras maneiras de você usar a vírgula em excesso, mas a união por vírgula (comma splice) é uma das mais comuns (e confusas).

Incluir vírgulas no ponto errado também pode mudar completamente o que você está tentando dizer. Por exemplo, existe a prática horrorosa de bater em filhotes de focas até a morte usando varas para retirar suas peles. É um assunto sério — que se torna completamente alterado se você adicionar uma vírgula no lugar errado, como neste exemplo.

Em vez de dizer “stop clubbing baby seals.”, essa imagem diz “stop clubbing, baby seals.” Aqui, a vírgula transforma stop clubbing” em uma introdução, e faz parecer que o pôster está pedindo às focas-bebês que parem de dançar (clubbing)!

Para mais informações sobre erros frequentes de vírgula, confira esta página.

4. Não usar vírgulas suficientes.

Primeiro nós dizemos que você está usando muitas vírgulas, e então dizemos que você não está usando o suficiente? Exatamente! Usar vírgulas onde elas não pertencem pode levar a problemas, mas isso também acontece caso você as omita. Não esqueça de incluir uma vírgula nestes casos:

  • Ao listar itens.

I need to buy broccoli, kale, and ice cream.

  • Ao usar uma conjunção (palavras como “and“, “but” ou “or“), se ambos os lados da vírgula puderem ser lidos como frases completas.

I want to go to sleep, but I still have work to do.

  • Ao usar uma frase introdutória.

Even though the music was quiet, it still gave me a headache.

  • Ao listar datas e locais.

I’ve lived in Brooklyn, New York, since June 20, 1997.

  • Ao declarar informações adicionais, não essenciais.

Michael Bay, a film director, loves explosions.

Uma nota rápida sobre a listagem de itens: A frase do primeiro exemplo acima também pode ser escrita como:

I need to buy broccoli, kale and ice cream.

Essa última vírgula é chamada de “vírgula de Oxford”. Às vezes é usada, às vezes não é. Depende do seu estilo! Se você está escrevendo para alguém ou para algum lugar (como uma escola ou uma publicação), basta perguntar o que eles preferem.

Omitir qualquer um deles pode transformar uma frase em uma declaração longa e sem fôlego. É por isso que afirmar que um banheiro é apenas para “disabled elderly pregnant children” é tão ridículo! Quantos crianças você conhece que estão grávidas, idosas e deficientes?

Para ainda mais regras de vírgula, revisite a página do Punctuation Guide (você já tem ela marcada como favorito, certo?).

5. Esquecer hífens.

Estamos de volta para esses caras novamente! Você pode não pensar que os hífens são tão importantes assim, mas espere até se deparar com um “dog-eating cat!” Hífens conectam ideias. São a cola que mantém as descrições juntas. Eles são muito importantes!

Tomemos, por exemplo, o nosso exemplo do dog-eating cat Ao colocar essa pequena linha entre as palavras “dog” e “eating“, você as marca como uma única descrição. Isso significa que, com o hífen, você tem um gato que come cães.

Sem o hífen, as palavras “dog” e “eating” não estão conectadas, mudando a forma como a frase é lida. Você agora tem “dog eating cat“, ou seja, um cachorro que está realmente comendo gato enquanto falamos (credo, alguém tire essa coisa daqui!).

Ok, então você pode nunca precisar avisar alguém sobre um gato que come cachorro ou um cachorro que está comendo um gato (assim esperamos). Os hífens aparecem em exemplos do mundo real também.

Você está programado para trabalhar twenty four-hour shifts”, ou “twenty-four-hour shifts”? Você é “small business owner”, ou um “small-business owner”?

Omitir hífens pode levar à confusão ou, no mínimo, a uma imagem boba (como a de um empresário baixinho que trabalha em turnos de quatro horas).

Para detalhes completos sobre hífens e como usá-los, GrammarBook.com e Penn Foster tem guias claros.

Com essas simples correções de pontuação, você já deve estar escrevendo frases mais claras e menos confusas!

Se você gostou deste artigo, então algo me diz que você vai adorar FluentU, a melhor maneira de aprender inglês por meio de videos do mundo real.

Cadastre-se gratuitamente!

Enter your e-mail address to get your free PDF!

We hate SPAM and promise to keep your email address safe

Close